O estado de ansiedade pode atrapalhar e muito a sua vida em todos os sentidos. Mas como lidar com ela?

Imagem: Freepik

Você é ansioso?

Não fique com receio de responder, pois todo mundo é!

O que diferencia a ansiedade de uma pessoa para outra é a intensidade com que isso interfere na vida.


Segundo estudiosos em psiquiatria, a ansiedade geralmente está relacionada com o medo de algo que não sabemos se vai acontecer, e isso está relacionado ao nosso instinto primitivo de sobrevivência. No tempo das cavernas os homens viviam em alerta pois a qualquer momento um animal feroz podia aparecer e atacar… Na vida moderna, não temos mais esse risco. Para muitas pessoas, na vida moderna, outros riscos surgiram no lugar: medo de sofrer em um relacionamento, de não ter dinheiro, de perder alguma coisa, de sofrer um acidente, de ser assaltado… Esse medo constante pelo que não se sabe se vai acontecer, gera a se sensação de ansiedade. Ficamos em alerta, não relaxamos!


No século 19, Freud descreveu a ansiedade como “o medo de algo incerto, sem objeto”. Já na década de 1960, psiquiatra australiano Aubrey Lewis definiu a ansiedade como “um estado emocional com a qualidade do medo, desagradável, dirigido para o futuro, desproporcional e com desconforto subjetivo”.


Diante dessas explicações podemos dizer que a ansiedade está sim relacionada ao futuro. Mas ela só se manifesta devido a nossa maneira de pensar, de ver – imaginar e sentir – as coisas ao nosso redor.


Num mundo tão acelerado em que vivemos, as notícias ruins, as catástofres, as pandemias, os casos de violência nos chegam com muito mais velocidade e intensidade, afetando nossos pensamentos e sentimentos. A era globalizada, das redes sociais também nos afeta. Queremos ser aceitos, nos comparamos, buscamos o “padrão” para ser aceito pelos grupos. Quando não alcançamos o que idealizamos, vem a frustração e tantos outros sentimentos de reprovação, e a ansiedade.


Ainda segundo especialistas, a ansiedade é como se fosse um mecanismo de defesa para nos tornar mais cautelosos – nos preservar – mas quando os níveis são altos a ponto de interferirem na nossa vida, nas nossas relações, nas nossas tarefas diárias, isso se torna doença. É a porta de entrada para outros estados mais profundos de sofrimento, como depressão, fobias e transtornos.


Além dos tratamentos médicos convencionais, as Terapias Holísticas oferecem recursos para auxiliar no tratamento da ansiedade e dos males causados por ela. Por se tratar de um estado emocional relacionado aos pensamentos, é preciso buscar compreensão de si mesmo para então compreender e tratar as causas.


Por isso as Terapias Holísticas nos oferecem ferramentas que auxiliam no autoconhecimento e a recuperar o equilíbrio entre a mente, o corpo, as emoções e o espírito; pois quando estamos em nós, temos a capacidade de dimensionar o futuro, sem se perder do agora. Planejamos, projetamos, programamos, mas não esquecemos de viver o presente em toda a sua plenitude!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.